LFA-SN2_Ap-165_1_Crop.jpg

INQUÉRITO NACIONAL SOBRE NIDIFICAÇÃO DE AVES (POUCO COMUNS) EM LINHAS ELÉTRICAS

 

CÁTEDRA REN EM BIODIVERSIDADE LANÇA INQUÉRITO ONLINE PARA COMPLEMENTAR O CONHECIMENTO EXISTENTE SOBRE AS ESPÉCIES DE AVES QUE NIDIFICAM EM APOIOS DE LINHAS ELÉTRICAS EM PORTUGAL.

A utilização (natural) de apoios de linhas elétricas por aves, como suporte de nidificação, é um fenómeno relativamente comum e globalmente conhecido. Este tipo de interação pode acarretar efeitos negativos, tanto para as espécies com este comportamento como para a fiabilidade da rede elétrica, mas também potenciais vantagens para as aves, sobretudo em linhas de muito alta tensão, onde a dimensão dos apoios permite maior disponibilidade de suporte e com menor risco de electrocução associado.

Os apoios podem ser utilizados por espécies de diversos grupos, nomeadamente ciconiformes, aves de rapina, corvídeos e outros passeriformes, sendo que as espécies de menor dimensão podem nidificar aproveitando / escavando pequenas cavidades no interior dos ninhos de espécies de maior dimensão.


Em Portugal, a nidificação da cegonha-branca (Ciconia ciconia) em apoios de linhas elétricas é um comportamento conhecido há muito tempo e que atinge atualmente proporções muito significativas, com cerca de 20% da população reprodutora nacional a nidificar em apoios REN. O conhecimento existente sobre o uso que a cegonha-branca faz dos apoios contrasta, no entanto, com a escassez de informação existente sobre a nidificação de outras espécies. Até 2020, existiam, contudo, registos não sistemáticos de, pelo menos, mais 6 espécies a nidificar em apoios de linhas elétricas em Portugal, com destaque para a águia-perdigueira (Aquila fasciata), bem como um crescente número de registos de nidificação deste tipo na vizinha Espanha, nomeadamente de espécies com interesse de conservação.


Neste contexto, em 2020, a Cátedra REN em Biodiversidade iniciou uma nova linha de trabalho que tem o objetivo geral de aprofundar o conhecimento existente sobre a avifauna (além da cegonha-branca) que nidifica em apoios de linhas elétricas em Portugal. Esta linha de trabalho visa ainda a definição de medidas adequadas de promoção dessa biodiversidade, com destaque para espécies ameaçadas, em compatibilidade com a segurança da rede. Assim, em 2021 foi levado a cabo um trabalho de campo sistemático, no sul do país, para caracterização da avifauna nidificante em apoios REN, que permitiu alargar para 10 o leque de espécies (além da cegonha-branca), incluindo uma segunda espécie ameaçada, o francelho (Falco naumanni).


Atendendo a que algumas espécies potenciais são discretas e que o levantamento de campo não foi exaustivo, a Cátedra REN em Biodiversidade lança agora um inquérito online através do qual pretende complementar o levantamento efetuado até ao momento e identificar outras situações conhecidas de nidificação em linhas elétricas, sobretudo da REN, mas aproveitando também a oportunidade para compilar informação sobre a nidificação em apoios de linhas geridas pela EDP (baixa, média e alta tensão).


Devido ao conhecimento já existente, na resposta ao inquérito não se pretende que sejam incluídos registos de nidificação de cegonha-branca, nem de três passeriformes (estorninho-preto Sturnus unicolor, pardal-comum Passer domesticus e pardal-espanhol Passer hispaniolensis) cuja nidificação em apoios já está identificada como sendo bastante comum (através de utilização secundária de ninhos de cegonha). Registos de espécies a utilizar caixas-ninho instaladas em apoios também não deverão ser incluídos.


Para o sucesso desta iniciativa, pede-se a colaboração de todos, em particular de instituições e investigadores/ técnicos de ornitologia envolvidos em projetos de monitorização ou conservação de populações nidificantes, mas também da comunidade de observadores/fotógrafos de aves e do público em geral com particular interesse pela avifauna.


Caso conheça exemplos de nidificação de aves (além de cegonha-branca e dos três passeriformes mencionados) em apoios de linhas elétricas, colabore nesta iniciativa, preenchendo o inquérito (até 28 de Fevereiro 2022)!


O tempo estimado para o preenchimento é de 5-10 minutos.

OBRIGADO!

Foto (cabeçalho da página): peneireiro-comum Falco tinnunculus a utilizar um ninho originalmente construído (provavelmente) por gralha-preta Corvus corone, num apoio da REN. Crédito: REN